Doação – O menino de Carrancas ajudando os meninos e meninas de hoje – os laticinistas de amanhã.

 

A renda das vendas do livro Queijos Semiduros, de Múcio Furtado, realizadas no lançamento da obra no Minas Láctea/Expomaq, foi doada pelo autor e as empresas Dupont e Fermentech, patrocinadoras da obra para o fundo de bolsas de estudos do Instituto de Laticínios Cândido Tostes. Dessa forma, Múcio Furtado, especialista e apaixonado por queijos, dá sua parcela de contribuição para que novos talentos tenham oportunidade no mercado de trabalho de laticínios.

O lançamento, que aconteceu no estande da Dupont/Fermentech, no dia 17 de julho, na Expomaq, foi um sucesso, tendo como renda R$ 16.550,00, quantia que contribuirá para qualificação de futuros laticinistas.

O livro Queijos Semiduros traz orientações sobre processos de fabricação e tecnologias aplicadas na produção de queijos semiduros e, certamente, contemplará profissionais e estudantes da área de laticínios com o conhecimento profundo e larga experiência do autor, reconhecidamente, expoentes na área de queijos.

A obra é bem-vinda e ganha importância no atual cenário de demanda no Brasil, que vem apresentando crescimento do consumo indireto de queijos. No food service, por exemplo, em pizzas e sanduíches; nas indústrias, em pratos prontos, além da demanda doméstica, em lanches rápidos e receitas que incorporam a funcionalidade desses queijos. Nesse cenário, os queijos Prato e Mussarela são destaques.

Além de técnicas para produção dos queijos semiduros mais populares, o livro traz orientações para processos de fabricação, equipamentos, uso de insumos na elaboração para outros queijos, como do Reino, Bola, Gouda, Estepe, Havarti (Maribo), Coalho, Minas Meia Cura; Saint Paulin, Lanche e Cobocó, Maasdam (Gruyère, Colônia e Gruyerito) e Chanco, trazendo, inclusive, Protocolos de elaboração desses queijos.

Entre outros pontos, o livro esclarece sobre: Padronização e Pasteurização; Fermentos Láticos; Parâmetros de Elaboração e Defeitos comuns no processo de fabricação.

Como todo bom queijo, o livro tem um sabor diferenciado na forma como Múcio Furtado conta a história de alguns tipos de queijos semiduros e o início de sua fabricação no Brasil. Nessas histórias e ‘causos’ à moda mineira, o autor passeia pelo interior de Minas Gerais e, entre outras curiosidades saborosas, fala da influência de dinamarqueses que vieram para o Brasil e deixaram sua marca na produção e qualidade dos queijos mineiros.

No livro, transparece a expertise e a paixão do autor pelos queijos. Se, tradicionalmente, vinhos harmonizam com queijos, nesta obra, fica clara outra harmonização, a de Múcio com queijos.

O livro é mais uma publicação da Setembro Editora, responsável pela edição das revistas Indústria de Laticínios e Ingredientes e Tecnologias.

 

Desenvolvido por KYU design gráfico